Revolusolar

Revolusolar e Prefeitura do Rio assinam parceria para educação ambiental e pesquisa

Rio de Janeiro, 22 de fevereiro de 2021 – A Revolusolar firmou uma parceria com a Prefeitura do Rio para desenvolver ações de educação ambiental e compartilhar conhecimentos, dados e esforços de pesquisa na área de energia solar fotovoltaica. O acordo prevê também o desenvolvimento de pesquisas conjuntas sobre o potencial de geração solar e acesso à energia elétrica em comunidades de baixa renda.  

“O Rio tem um altíssimo potencial de promover o acesso a energia de baixo custo e baixo impacto ambiental em favelas. A parceria com a Revolusolar vai permitir aprofundarmos os nossos conhecimentos para o melhor uso do sol como fonte de energia”, disse o secretário municipal de Meio Ambiente, Eduardo Cavaliere.

Em conjunto, Revolusolar e Prefeitura do Rio pretendem analisar oportunidades de inovações em mecanismos de financiamento de sistemas de geração distribuída fotovoltaica (GDFV) para ampliar o acesso à tecnologia em comunidades de baixa renda.

A Revolusolar está construindo  a primeira cooperativa de energia solar numa favela brasileira, no Morro do Leme, Zona Sul do Rio. Com isso, os moradores cadastrados terão acesso a uma energia elétrica aproximadamente 30% mais barata. 

“Apesar de muitos acreditarem que toda a energia da favela vem de conexões clandestinas, uma a pesquisa da Revolusolar com moradores da Babilônia, mostrou que a realidade é outra. Boa parte da população local paga caro pela energia que consome e, mesmo sem o benefício da tarifa social, está com a conta de luz em dia”, disse o diretor executivo da Revolusolar, Eduardo Avila.

Além do benefício para o meio ambiente e para o bolso do consumidor, a energia solar ainda gera empregos. Por isso, o acordo entre Revolusolar e Prefeitura prevê a criação de metodologias de capacitação profissional de instaladores solares nas comunidades de baixa renda para inserção da mão de obra formada no mercado de trabalho.

Visual Portfolio, Posts & Image Gallery for WordPress



.

A energia solar, além de limpa, surge como líder na geração de empregos entre as renováveis até 2030. E os custos associados a esta tecnologia são cada vez menos uma barreira de acesso”, disse Cavaliere.

O acordo também inclui a promoção de eventos de estímulo à conscientização sobre energias renováveis e, em particular, energia solar e seus potenciais impactos sociais e prevê para a realização de ações socioeducativas com crianças e adolescentes.

“É uma alegria saber que a Babilônia, lugar que frequento desde a minha adolescência e tenho tanto carinho, foi escolhida para ser pioneira em um projeto inédito de energia solar nas favelas. Ver a comunidade aprendendo como reciclar energia e economizar é gratificante. Eu sou cria da favela e me sinto representada. A inclusão social também está na sustentabilidade”, afirma Ana Ribeiro, subprefeita da Zona Sul.

Revolusolar

A Revolusolar é uma organização sem fins lucrativos que promove a energia solar em comunidades de baixa renda. Para isso, gerencia projetos de geração de energia, formação profissional, pesquisa, eventos e educação ambiental. A ONG coleciona reconhecimento internacional, como finalista do Prêmio Jovens Campeões da Terra, promovido pela ONU, e também finalista do Global Innovation Lab for Climate Finance, que seleciona instrumentos financeiros inovadores para impulsionar ações de adaptação e mitigação às mudanças climáticas.

Visual Portfolio, Posts & Image Gallery for WordPress




Contato

Júlio Lubianco

julio.lubianco@revolusolar.com.br

21 96463-7061


Lenilton Costa
lenilton0105@gmail.com
61 99241-1191

Eduardo Avila
eduardo.avila@revolusolar.com.br
21 99915-8583

Você pode fazer a diferença!

Ajude a promover o desenvolvimento sustentável das favelas através da energia solar. Seja um apoiador da Revolusolar e contribua para um mundo mais inclusivo e sustentável.

Com sua doação, conseguimos manter nossa estrutura independente, além de promover instalação de placas solares na favela, cursos de formação profissional e oficinas infantis nas comunidades da Babilônia e Chapéu Mangueira, no Rio de Janeiro.

Deixe o seu Comentário